Saqueadores do Mar das Dunas – Parte 2

Dark Sun

Personagens:

00_party


Emboscada dos Emissários de Urik

02_ambush

Nas caravanas todos se encontraram novamente prontos para partir de Tyr. Karlak deixou Remiir, um mûl que cuida de suas montarias de caravanas, negociar com o grupo o transporte.

O que não esperavam era a companhia que havia chego logo no encalço do grupo. Liderados por um templário vestindo claramente as cores do Rei Bruxo de Urik, abriu espaço no meio da praça e falou claramente apontando para os surpresos exploradores:

“Hoje é seu dia de sorte, cães de Tyr! Hamanu o Rei Leão escolheu vocês para se juntarem aos seus seguidores. Você deve se sentir honrado! Entretanto, eu temo em dizer que isso irá doer bastante. Muito!”

O templário liderou ao ataque com seus assassinos. Logo as caravanas estavam em chamas, flechas e chatckas estavam cruzando o caminho. Em um combate feroz, o templário deixou claro seu conhecimento sobre o “caminho” quase matando Gomorra com um gesto de sua mente. Os assassinos foram quase todos mortos, fazendo seu líder fugir antes do fim da batalha, deixando corpos e caos na praça.

02_reob

Antes que os guardas de Tyr chegassem, partiram em meio à confusão rumo aos portões de Tyr. As suspeitas cresceram ainda mais sobre Karlak. Porque assassinos da cidade rival de Urik sabiam que mercenários de Tyr estavam indo atrás da Face na Pedra, com certeza havia mais em jogo do que apenas riqueza e mais jogadores no mesmo cenário perigoso que acabaram de conhecer.


Cruzando o Mar das Dunas

02_athas

O Mar das Dunas é um deserto sem fronteiras ou trilhas que dominam todo leste de Tyr. Não há oásis ou lugares para descanso fáceis. O caminho era arriscado e impreciso. Karlak em sua carta deu apenas uma pista, uma frase usada por um explorador que diz ter encontrado antes de sua morta, era uma cantiga de crianças da tribo do deserto: “Onde o redemoinho tece o túnel no céu, uma aparição pedregosa raramente fita com seus olhos vazios.”

Todos na caravana estavam intrigados procurando redemoinhos, rochedos estranhos e pistas no deserto. Por mais de sete noites e noites cruzaram o deserto, quase ficando sem água, sem notar uma alma no deserto. Porém no oitavo dia encontraram restos de uma caravana, em uma área pedregosa longe de qualquer trilha. Foram atormentados por pesadelos e miragens, que muitas vezes envolviam uma tempestade de areia que ocultava uma cidade rastejante, vagando do deserto como uma predador, com sua tribo sanguinária caçadora. Os pesadelos ficaram mais intensos no decorrer dos últimos dias.

Os restos da caravana haviam sido saqueados e os corpos deixados para apodrecer, vários Stingers, insetos gigantes carniceiros estavam se fartando. Foi necessário muito esforço para se livrar dessa praga do deserto dos corpos.

Os corpos revelaram sinais de luta. O shaman Tso Shash fez um último rito fúnebre para as pobres almas mortas ali, descobrindo ao ouvir os espíritos inquietos do lugar, mais sobre os assassinos. Os Saqueadores de Yarnath estavam pertos e estavam caçando forasteiros.

02_deserto


Continua no próximo capítulo!

Anúncios
Esse post foi publicado em Dark Sun, Saqueadores do Mar das Dunas e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s