Ficha de Personagem D&D 4.0 versão 2.0

Dark Sun

Estou disponibilizando a ficha da 4ª edição do D&D  temático do mundo de Athas VERSÃO 2.0

As principais vantagens de usar esta ficha:

  • Ficha de Powers separada que comporta todos Powers até o nível 30 de modo compacto.
  • Comporta todos os Slots de equipamentos usados e com espaço para Powers dos itens.
  • Toda ficha possui mais espaço para preencher os campos.
  • Personalizada para uma campanha de Dark Sun.

Novidades entre a versão 1.0 e 2.0:

  • Mais espaço para HP;
  • Mais espaço para XP;
  • Slots para anotar Healings Surges Usados;
  • Verso com mais espaço para Feats e Class Features;
  • Mais Espaço para equipamento;
  • Segunda ficha exclusiva de powers compacta e simples (will, encounter, daily e utility)
  • Ficha de anotações de campanha no verso

DOWNLOAD:

CharacterSheet-2_A4_standard

CharacterSheet-1_A4_standard

CharacterSheet-3_A4_powers

CharacterSheet-4_A4_notas

Amostra do arquivo PDF:

ficha_amostra_darksun_dnd_V2

Anúncios
Publicado em Dark Sun, Ficha de Personagem | Marcado com , , , , | 1 Comentário

Saqueadores do Mar das Dunas – Parte 7 – FINAL

Dark Sun

Personagens:

00_party


A Batalha das Duas Serpentes

O Vorme era colossal. Uma imensa criatura que estava adormecida nas entranhas da caverna onde estava petrificado, agora vivo, feito de escamas escuras e espessas, trincadas pelo tempo. No lugar de uma única cabeça com dentes, estavam vários outros tentáculos com presas afiadas como navalhas. A besta emitia um som gutural como se fosse um demônio de outra Era antiga de Athas. Sua força destruía as paredes, o teto, onde quer que fizesse uma investida.

07_wurm

Todos correram para longe enquanto o Vorme fazia ataques de forma espiral arrancando pedaços da plataforma de pedra. Sarkham foi engolido vivo, sendo devorado aos poucos dentro da besta. O gigante Gomorra encravou sua Githka na couraça e foi arrastado à beira do abismo. Tso Shash invocou sua criatura do mundo dos espíritos, Meki, para atacar enquanto invocava todos os espíritos de proteção que conseguia.

Nok, Ayala e Nnn’tkk fugiram do vorme enquanto estava lidando com o bruxo Gareesh. O Thri-Kreen dispara flechas ao primeiro sinal do bruxo – Ayala com seus punhais ataca pelas costas, procurando uma distração para encravar finalmente um punhal no causador de tanto sofrimento em sua vida – e por fim Nok invocou todo o poder de seu sangue mágico e descontrolado, criando raios de energia pura que golpeavam violentamente o Vorme e Gareesh.

O cenário estava caótico, as esperanças de sair vivo desta tumba estavam diminuindo – a magia corrupta de Gareesh era poderosa, suas rajadas de relâmpagos negros e explosões de chamas drenavam toda vida ao redor, criando rachaduras no chão, fazendo seus inimigos sangrarem e tornavam o ar espesso pela pulverização de fragmentos ao redor.

02_reob

Em um momento de descuido, Ayala atacou Gareesh precipitadamente à beira do abismo, fazendo ambos cair do precipício. Nnn’tkk salta para perto do abismo, para testemunhar Gareesh segurando-se na borda – com Ayala segurando-se no próprio bruxo. Ambos quase caindo para morte, Nnn’tkk tenta agir rápido para resgatar Ayala antes que ambos caiam para a morte. Mas toda situação muda o inesperado acontece.

O Vorme descontrolado começa a ruir a estrutura da plataforma, enquanto tenta destruir cegamente tudo ao redor. Gomorra que está pendurando na fera pela sua arma, consegue romper parte da couraça de onde puxa do druida quase morto para fora das entranhas. Neste momento, Nok que está com a Coroa das Dunas em suas mãos, hesita por um instante vendo que a fera é quase imortal e coloca em sua cabeça Coroa e reivindica todo poder restante de Ul-Athra na relíquia.

07_gomorra

No momento que o louco Halfling faz isso, sua mente é tomada por imagens de Athas, a muitas eras atrás. Ele enxerga o próprio Ul-Athra, uma serpente de várias cabeças cujo comprimento e largura cruzando o deserto poderia ser confundido com uma cordilheira de montanhas no horizonte, esta visão pavorosa era acompanhada por tempestades de areia e relâmpagos, trazidas pelo Deus das Dunas e da Fúria, um ser mitológico com poderes titânicos. Quando Nok voltou a si, sentiu-se ser tomado por desejo de vingança e fúria, logo seus pensamentos se tornaram realidade.

Com um gesto, o poder da Coroa se manifestou instantaneamente – um tornado de Areia tomou todo interior do templo, os ventos eram tão fortes que conseguiam arrancar blocos de rocha da parede e do chão, quase todos foram sugados para o interior do vórtice, incluindo o Vorme, sendo despedaçados por rocha e areia afiados como navalhas. Alguns foram arremessados para a beira do abismo – enquanto Nnn’tkk conseguiu segurar a mão de Ayala momentos antes de cair para a morte no abismo, salvando sua vida, porém pagando o preço de deixar Gareesh conseguir também fugir da beira o abismo.

07_nok

Com o Vorme aniquilado e feito em pedaços pelo vórtice criado por Nok, Gareesh com alguns gestos arcanos faz uma energia estática ser energizada em suas mãos, mirando nos que sobreviveram ao vorme e a ao tornado – mas Gareesh é interrompido pela lâmina de osso de Ayala penetrando nas costas do bruxo, enquanto ela sente a satisfação de causar dor e completar sua vingança contra o traiçoeira templário de Urik. Gareesh ainda consegue se virar para um último ataque, onde ia descarregar toda energia do trovão em Ayala, quando Nnn’tkk intervém para salvar a tiefling, cravando duas flechas certeiras letais no peito e no pescoço, Gareesh grita pela última vez e descarrega seu trovão arcano não em Ayala, mas seguindo o rastro das flechas. O trovão segue como uma serpente elétrica até o Thri-Kreen causando um clarão no interior do templo seguido por um estrondo. Nnn’tkk cai no chão sem vida, cauterizado e deixando seu arco cair ao seu lado.

Por um momento fez-se silêncio. Ayala com o corpo de Gareesh sem vida e sua mãos repletas de sangue, grita em desespero ao ver o Thri-Kreen cair, indo em sua direção junto com todos ao redor tentando traze-lo de volta a vida. Nem os espíritos de Tso Shash conseguiram salvá-lo de um poder tão letal e maligno.

07_tik

O Vorme foi derrotado, Gareesh estava morto, Nok estava com o fragmento da Coroa, Ayala chorava desesperadamente sobre o corpo do louva-deus gigante Nnn’tkk, Tso, Sarkham e Gomorra prestavam sua última homenagem ao rastreador e Ranger de Athas que matou um dos templários mais perigosos de Urik.

O custo da vitória foi grande. Todos deixaram as câmaras inferiores, o corpo de Gareesh foi abandonado no abismo enquanto Nnn’tkk foi queimado como a tradição Thri-Kreen exige e sepultado nesta imensa tumba onde jazia o fragmento de Ul-Athra.


Slither, a Cidade Rastejante de Yarnath

07_slither

Deixando para trás o templo abandonado, perceberam que ainda não era a hora de chorar pelos mortos – pois logo na saída da Face na Pedra, era possível ver algumas dunas à frente, uma imensa forma colossal emergindo de uma tempestade de areia. Era Slither, a Cidade Rastejante e seus Tareks saqueadores sedentos por sangue e promessas de saque indo em direção do grupo.

Slither por si só era uma visão terrível, digna dos pesadelos de Tso e Sarkham, era isso que viam em suas noites no deserto. A cidade tinha o tamanho de um distrito inteiro de Tyr, suas estruturas de torres, formavam um conglomerado de fortalezas com bandeiras, estacas de madeira e ossos gigantes, sua aparência aracnídea monstruosa se dava ao fato de toda essa fortaleza ser carregada por milhares de patas gigantes feitas de ossos, que se locomoviam como um inseto, feito por alguma magia poderosa nunca vista pelo grupo. A cidade rastejante era ocultada por uma tempestade de areia constante que a seguia.

Os portões da cidade se abriram para uma horda de Tareks, que agora veem o grupo à porta da entrada do templo, montados em lagartos gigantes de naus movidas a vento pelo deserto. Não existia chance de fugir, mesmo correndo pelo deserto, estavam sem montarias e com pouca água.

07_crown_of_dust

Os saqueadores logo os alcançaram. Nok que estava com a coroa de Ul-Athra ainda, tomou uma decisão que iria mudar sua vida para sempre, falou para Tso, Gomorra, Sarkham e Ayala, fugirem enquanto podem, pois Yarnath queria a coroa apenas, sua vida em troca de todos vocês. O Mûl, o Gigante e o Elfo fugiram pelo deserto, enquanto Ayala ficou ao lado de Nok. A tiefling disse que iria honrar o nome de Nnn’tkk até o resto de sua vida, o Thri-Kreen que a salvou da morte, lhe ensinou que a vida de seus companheiros valeriam mais que a sua apenas, ela ficou ao Nok enquanto eram capturados pelos Tareks e levados para Slither– enquanto a seus companheiros sumiram no deserto escaldante para liberdade.


O Cativeiro de Yarnath e o Retorno à Tyr

Nok e Ayala foram levados para dentro da fortaleza. Slither era muito pior do que aparentava por fora. Seu conglomerado de estruturas de pedra, madeira e ossos eram infestados de Tareks e criaturas repugnantes do deserto.

07_yarnath

Em suas prisões, foram visitados pela senhora da fortaleza, a criaturas que comanda todos os saqueadores do mar das dunas e Slither – Yarnath, a Víbora Negra – séculos atrás foi uma humana, mas hoje é uma Lich feiticeira de poder quase igualável aos Reis Bruxos. Seu corpo era escuro e apodrecido, vestia roupas nobres e elegantes em alguma Era, porém estava impregnados pelo seu odor repulsivo e suas mãos recheadas de anéis, braceletes e diversos objetos feitos de metal puro, umas das coisas mais raras e valores de Athas.

Nok e Ayala descobriram que Yarnath era um ser astuto e paciente. Foi revelado a eles que Yarnath queria a coroa para usar contra o Rei Bruxo de Urik, seu antigo rival. Mas com foi o Halfling que removeu do altar com suas mãos a Coroa, ela só obedeceria as suas ordens e não a Yarnath por mais que a Lich tentasse.

Então Yarnath manteve Nok e sua companheira Ayala, no cativeiro atém o fim de seus dias se necessário, até o dia que Nok cedesse às vontades de Yarnath para lutar ao seu lado contra Urik. Nok e Ayala recusaram a ajudar a Lich, porém Yarnath não tinha pressa e deixou apenas o tempo em suas celas cuidar para que Nok cedesse à loucura dos horrores que iria presenciar nos anos que iriam seguir sob a tutela da Viúva Negra Imortal.

07_tyr

Semanas depois deste evento Sarkham, Gomorra e Tso chegaram quase mortos em Tyr, reivindicaram a recompensa de Karlak, por salvar os sobrevivente e revelar o que havia no templo, sobre Urik, Yarnath e a Coroa.

01_karlak_port

Com a recompensa Gomorra deixou para trás essa aventura trágica e procurou se aposentar na relativa cidade livre de Tyr.

Sarkham ficou obcecado sobre os deuses antigos, que deveriam ser mitos apenas, gastou todo dinheiro que conseguiu fazendo expedições com novos companheiros que o seguiriam pelo resto de sua vida, atrás de templos, relíquias e lugares sagrados, onde descobriu muitos segredos dos deuses de Athas e segredos sobre o esquecido Rajaat, o criador que Reis Bruxos traíram. E foi um dos primeiros a descobrir que o Rajaat estava vivo, querendo vingança por milênios e estava voltando do outro mundo para Athas. Em breve.

A memória de Nnn’Tkk nunca foi esquecida pela sua tribo de nômades, o templo abandonado antes conhecido como Face na Pedra, ficou famoso como a Tumba do Thri-Kreen, um lugar de peregrinação do povo inseto onde dizem que a alma de Nnn’Tkk, o Matador de Templários, assombra o lugar procurando no deserto servos do Rei Bruxo Urik para levá-los para seu túmulo.

07_tso

Tso Shash foi corroído por muito tempo pelo fato de ter perdido Nnn’Tkk, Nok e Ayala. O druida criou sua própria ordem de druidas e guardiões do deserto, onde muito tempo depois dos eventos da Face na Pedra, ele foi atrás de Yarnath, para libertar o halfling das garras da Bruxa.

A seu tempo, Tso Shash conseguiu salvar aqueles que desejou por muitos anos, enfrentou exércitos de Tareks, confrontou com desejo de vingança a própria Yarnath e teve muitas outras aventuras com seus companheiros em terras distantes Athasianas.

Mas esta é outra história ainda a ser contada…

01_art_campanha


E assim encerra a Aventura Saqueadores do Mar das Dunas.

Publicado em Dark Sun, Saqueadores do Mar das Dunas | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Saqueadores do Mar das Dunas – Parte 6

Dark Sun

Personagens:

00_party


Pandemônio

Os fungos gigantes luminescentes mantinham uma atmosfera quase etérea na enorme câmara. Gomorra investiga sozinho na ala sul. Em meio as plantas que o cercam, sombras se movem na escuridão, logo se vendo afastado demais dos outros e correndo grande perigo. Os fungos negros gigantes tornam-se vivos, criando um emaranhado de plantas mortas e fungos fundidos em um organismo tóxico e letal. Gomorra começa a luta contras as criaturas que expelem esporos de paralização. Uma batalha impossível de ser vencida sozinha, o gigante corre pelo emaranhado de fungos em direção de seus companheiros.

06_myconids

Sarkham e Nok investigam a ala norte, com a luz de sua tocha acham enterrado sob as raízes um alçapão de pedra lacrada. Mas antes de conseguir tocar na pedra, os fungos ao redor criam vida – fundindo-se em uma enorme criatura cercada por uma neblina tóxica de esporos – o druida e o feiticeiro tentam correr pelo estreito caminho em qualquer direção, a criatura era grande e forte demais.

06_plant_lordGritos se misturam a um som gutural das criaturas na câmara. Nnn’tkk e Shash faziam a vigia do corredor onde ouviram os assassinos se aproximarem, mas seus companheiros estavam sendo emboscados e era impossível conseguir vê-los dali.

Nok corre sem sua tocha da fera nos fungos, mas logo é barrado por uma surpresa na entrada da câmara – um elfo encapuzado portando punhais à espreita – vai de encontro direto com o hafling. Logo outro assassino se junta à emboscada – mesmo surpreso Nok tenta liberar uma energia mágica de seu sangue tentando penetrar na mente dos elfos em vão. Ele é ferido letal mente pelos punhais que atravessam sua roupa, sua pele e seus ossos com estalos e um dor excruciante. Nok cai inconsciente no chão.

Em forma de pantera do deserto, Sarkham avança sobre os assassinos – matando um – tentando salvar Nok enquanto a fera tece seu caminho vindo logo pelo flanco. O druida consegue levar o corpo sem vida de Nok para perto de Nnn’tk e Shash – porém não veem mais Gomorra.

A fera gigante que perseguia Sarkham encontra os elfos e logo uma luta entre eles acontece na entrada da câmara. Porém não há tempo de reagir quando as myconídias Negras surgem próximo à eles.

Nnn’tkk começa a desferir todas suas flechas que consegue nas criaturas que os cercam por todos os lados. Shash convoca novamente do mundo dos espíritos Meki, defendendo o grupo das plantas. Logo a situação perde o controle quando a fera gigante perde os elfos e parte em direção do estreito perímetro do grupo.

Tso usa seus poderes de curandeiro e trás à vida Nok e o grupo se dispersa quando não há mais esperanças de defender o local. Gomorra surge em meio aos fungos e toma à frente a luta contras as plantas carniceiras. A lute segue feroz com flechas, feitiços e mordidas de ambos os lados até as myconídias negras serem desintegradas.

Enquanto isso os assassinos parecem ocupados no corredor – estavam sendo atacados por outra pessoa, que não fazia parte do grupo nem dos emissários de Urik. Nnn’tkk atira uma flecha flamejante em direção ao corredor para saber o que está havendo.

06_assassinos

O grupo se divide para lutar entre a fera gigante e os assassinos. Nnn’tkk e Sarkham lutam contra a planta gigante que sobreviveu enquanto Gomorra, Nok e Shash se aproveitam da distração – dois assassinos restantes estão lutando contra uma tiefling vestindo peles de escamas e usando adagas de osso, que não pertencia ao grupo.

Quando a tiefling é pega como refém, o outro assassino é rende-se entregando suas armas à Gomorra. Sem remorso, o gigante golpeia com seu Trinkal Flamejando a cabeça do assassino desarmado quase o matando instantaneamente. A tiefling tenta salvar a própria vida em um movimento desesperado jogando o elfo contra parede e atirando-o no chão com um punhal encravado mortalmente em sua costela. O outro assassino foge.

Finalmente, Sarkham muito ferido, consegue com a ajuda de N’Nnn’tkk destruir a planta gigante. A atenção de todos se voltam à tiefling que corre atrás do elfo. Tso ajuda a capturar o fugitivo e todos param por um momento para recuperar o fôlego e tentar tratar os ferimentos.

Nok encontra relíquias raras em meio aos corpos: um Arco do Trovão, um Elmo do Basilisco, um Anel do Escaravelho e uma Pele Espiritual da Pantera.

A tiefling revela-se ser Ayala, uma espiã e rastreadora da cidade de Balic, viajando por Tyr e suas regiões. Interrogada antes do elfo prisioneiro, Ayala revela uma estória que a trouxe para o templo, a trouxe atrás do grupo.

06_ayala_tiefling_rogue


O Espião de Hamanu

Ayala ganha a vida vendendo informações, uma delas em particular era o mapa feito por um sobrevivente do templo conhecido como Face na Pedra. Quando estava indo vender para Karlak em Tyr, que tinha grande interesse no mapa, foi enganada por um homem conhecido como Gareesh. Este sujeito é um templário de Hamanu, de Urik. O mesmo sujeito que emboscou o grupo em Tyr e fugiu.

02_reobA estória de Ayala se torna mais interessante quando ela revela que conhecia Gareesh do seu passado, a tiefling passou sua juventude como escrava à serviços do infame Gareesh, cometendo crimes, assassinatos, chantagens e qualquer coisa pelo templário. Quando conseguiu fugir, jurou vingança.

Ao descrever como era Gareesh, o grupo reconheceu como sendo Robertsky, que era uma identidade falsa pertencente ao corpo líder da caravana que jazia na entrada do templo. Ao interrogar o prisioneiro elfo, descobrem ainda que Gareesh está com o mapa e busca a Coroa dos Ventos de Ul-Athra, que está escondida no templo. Ainda em sua posse está o artefato Ral Guthay, dando poderes ao seu portador enquanto a Coroa estivesse no templo. Seu plano incluía usar os aventureiros para limpar o caminho até o centro do templo e como isca, pois Ayala confirmou que no mapa dizia que algo guardava a Coroa.

A tiefling concluiu sua estória dizendo que iria se juntar à eles se precisassem de mais um mão para caçar Gareesh. Ela parecia querer lutar contra os mestres de Gareesh também, não se importava com o templo nem com o que guardava. Mas se é algo que Hamanu gostaria de ter, isso só poderia significar mais uma fonte de poder milenar para o Rei Bruxo dominar ainda mais as tribos livres de Athas. Ela iria fazer tudo que pudesse para impedir isso – fazer justiça com Gareesh é um bônus que ela aceita com prazer sem remorso.

O plano era achar a coroa – como Gareesh deseja – mas antes que seja roubada por ele, usar este momento para subjugar Gareesh, pois será quando ele estará vulnerável, sem o poder de Ral Guthay. De qualquer maneira, Ayala estava muito preocupada se a Coroa existe realmente, ela pode ter um poder maligno assustador, teme o que pode acontecer se alguém do grupo se revelar ganancioso tão perto de uma relíquia tão procurada.


Catacumbas

Deixaram o prisioneiro amarrado e imobilizado em uma armadilha – enquanto descobrem duas passagens subterrâneas. As escadas em espiral mostram desenhos nunca vistos no templo e uma brisa fria carregada de rancor que sobre do interior do templo.

06_trapdoor


Continua no próximo capítulo!

Publicado em Dark Sun, Saqueadores do Mar das Dunas | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Saqueadores do Mar das Dunas – Parte 5

Dark Sun

Personagens:

00_party


A Relíquia de Ral e Guthay

05_gods

Seguindo cada vez mais abaixo do templo, encontraram uma câmara repleta de ossadas antigas, símbolos de adoração e uma energia necromântica que drenava vagarosamente a força vital de todos na sala. Um investigação mais minuciosa revelou que este lugar era onde uma relíquia conhecida como Chave – Ral Guthay – era guardada, um crânio de um antigo sacerdote de Ul-Athra.

05_ral_guthayConsultando os espíritos do lugar, Tso revelou que os Hejkins invadiram esta câmara muito tempo atrás e roubaram o artefato, sem saber o motivo certo. O poder dessa chave se mostrou ser o de comandar criaturas dentro deste templo e permitir seu portador possa transitar dentro do templo magicamente.

Tudo ficou claro para o grupo por um instante, Robertsky os usou para roubar esta chave e estava usando o templo para matá-los. Ele estava atrás de outra coisa no templo e ainda não tinha achado. O grupo teve que apressar sua busca nas ruínas para não sair de mãos vazias para Karlak ou sem sua vida por causa do traidor.


Assassinos de Urik no Encalço

05_plant

As ruínas levaram o grupo para um beco sem saída, uma enorme câmara infestada por fungos gigantes, alguns venenosos e outros predadores adormecidos. Neste momento ouviram passos vindo da câmara que deveria estar vazia.  Nnn’tkk foi investigar e confirmou que estavam sendo seguidos por assassinos de Urik, os mesmo que tentaram lhe matar em Tyr – muitos dias atrás.

Todos se esconderam entre as plantas e aguardaram os silenciosos emissários de Urik se aproximarem. O lugar não tinha para onde fugir, eles ou o grupo iriam fazer parte da decoração da câmara para sempre – muito em breve.

05_assassins


Continua no próximo capítulo!

Publicado em Dark Sun, Saqueadores do Mar das Dunas | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Saqueadores do Mar das Dunas – Parte 4

Dark Sun

Personagens:

00_party


Habitantes Inesperados

04_hejkinsPassando por uma armadilha logo na entrada, a caverna estava habitada por criaturas conhecidas como Hejkins – humanóides primitivos que cultuam a natureza e as luas de Athas. Ao se confrontar com eles, as poucas palavras compreendidas do Hejkins não ajudaram a evitar o banho de sangue que iria acontecer.

Todos os selvagens atacaram o grupo que não hesitou em se defender e eliminar todos que encontraram. Robertsky mencionou que o lar dessas criaturas estava próximo e seu líder possuía a chave para entrar nas ruínas.

Seguirem pelo outro corredor, emboscado os Hejkins restantes junto com um guardião Chuul da caverna. O persuasivo Robertsky revelou-se um mago que usa magia corrupta, usando esse poder para matar o líder e encontrando a tal chave.

04_chuul

Encontraram um veio de água, como em um oásis, uma raridade e provavelmente o motivo de haver criaturas habitando essas cavernas. E curiosamente um fosso na caverna, muito profundo e muito provavelmente um lugar para atirar vítimas.

Descansaram por algumas horas no lugar. Tso Shash não conseguiu descansar, passou as horas meditando perto do fosso, onde por algumas instantes ouviu as palavras “Ral Guthay” vindo do fundo do fosso como um mantra demoníaco. Eram os nomes das duas luas de Athas.

04_cave

Mas antes de descobrir mais sobre isso, Robertsky sumiu da caverna e levando consigo a chave para entrada das ruínas.


Os Servos de Ul-Athra

Perseguiram os rastros do traidor passando por um corredor acidentado e ao final – encontraram um templo protegendo a entrada das ruínas habitada por mortos-vivos. Seguidores de Ul-Athra sendo uma mistura de de ossadas entre homem e serpente.

04_undead

04_wormOs guardiões eram perigosos, quase levaram a morte o feiticeiro e o druida. Quando a batalha parecia vencida, um imenso esqueleto de serpente gigante levantou-se do chão e atacou impiedosamente os invasores. Quase à beira da morte os aventureiros derrotaram a fera e fugiram do lugar onde antes de mais uma armadilha fosse acionada, pois Nok tinha acionado sem saber um gás venenoso na câmara.

Gomorra encontrou no altar antes de sair, um Trinkal, umarma ritualística com poderes mágicos, feito de ossos de serpentes, era encantada para tornar-se incandescente quando empunhada.

Seguiram as pistas pelos corredores vazios, passando por câmaras abandonadas e becos em saída dessas ruínas milenares. Encontraram em seu caminho uma câmara repletas de estátuas e um fosso de sacrifício. Neste lugar foram emboscados por alguma maneira, por Robertsky – o mago tinha poderes antes desconhecidos pelo grupo, como tornar-se invisível, intangível e até comandar servos adormecidos de Ul-Athra nestas ruínas.

04_throne

Encurralados lutaram contra estátuas de homens-serpentes e um imenso sacerdote morto-vivo tentando sacrificar algum dos seres vivos na sala para Ul-Athra. Ao final os guardiões foram subjugados e todos fugiram deste lugar com uma aura profana.


Continua no próximo capítulo!

Publicado em Dark Sun, Saqueadores do Mar das Dunas | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Saqueadores do Mar das Dunas – Parte 3

Dark Sun

Personagens:

00_party


O Vale dos Ventos

03_bones

Não demorou mais de um dia para encontrar uma trilha dos saqueadores. A caravana foi conduzida a um vale no deserto, marcado na areia por uma ossada gargantual de um vorme, uma serpente colossal que repousava no deserto, como se marcasse uma fronteira.

Este vale revelou um grande segredo: chegando ao topo das dunas, era possível avistar uma tempestade de areia, como um imenso redemoinho castigando o vale. Dentro da tempestade tinha algo oculto. Aquela cantiga que Karlak disse ser uma pista coincidia com o lugar.

03_duststorm

Na orla da tempestade, encontraram um grupo de batedores Tareks, humanóides selvagens e ferozes. Não tiveram dúvida que faziam parte de uma tribo maior, responsável pelo terror no Mar das Dunas. Ele tinha prisioneiros e estavam um a um matando-os.

03_tareksAntes que mais fossem chacinados, desceram a duna para surpreender os Tareks antes que pudessem fugir. Foi uma carnificina. Os Tareks não fugiam da batalha lutaram até a morte contra o grupo, deixando muitos feridos, muitos Tareks morros e as areias do vale vermelhas de sangue. Resgataram os poucos sobreviventes e enterraram os corpos dos selvagens.

Os sobreviventes eram de uma caravana que foi atacado há poucos dias, estavam prestes a morrer. Em troca da ajuda, deram pistas que cruzando a tempestade, havia um lugar escondido, onde os Tareks tinham medo de entrar e seus chefes iriam querer saber do local.

Depois de um breve descanso, resolveram tentar cruzar a tempestade de areia e descobrir o que estava oculto.

03_dstorm


A Face na Pedra

A tempestade de areia era castigante, sua poeira cegava e cortava a pele como sal bruto. Os ventos violentos sobrenaturais ocultavam uma área de pedras altas e escarpadas, totalmente ocultas pelos ventos fortes.

03_faceAli viram de longe uma caverna no final do vale, era uma caverna com um rosto não humano esculpido – era a tal Face na Pedra finalmente. Mas antes que pudessem dar um passo, notaram que o lugar não estava desabitado, as paredes tinham teias cristalinas quase invisíveis. Era possível ver corpos envolvidos em casulos pendurados nas enormes teias. Um corpo parecia estar vivo.

Nok, o ardiloso halfling conseguiu chegar até o corpo do homem ainda vivo, mas preso. Seu nome era Robertsky Dasheer. Disse ser um dos exploradores emboscados no vale, há dias atrás.

Acidentalmente Nok encostou-se na teia armadilha e três aranhas de cristal gigantes saíram da toca para emboscada.

As aranhas tinham uma carapaça de cristal, letais e rápidas, conseguindo causar queimaduras graves em uma luta feroz. Foram cercados pelos aracnídeos gigantes e um a um foram sendo encurralados. A luta só foi vencida com a ajuda de todos enfrentando uma aranha por vez, sozinhos teriam sido capturados.

03_spiders

Deixando os corpos de cristal para trás, o sobrevivente de nome Robertsky propôs um trato para retribuir sua vida salva. Ele conhecia o interior da caverna, explorou uma parte e conhecia as armadilhas e portas. Ele se juntou ao grupo – mesmo com o grupo muito desconfiado – seguiram para dentro da caverna.


Continua no próximo capítulo!

Publicado em Dark Sun, Saqueadores do Mar das Dunas | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Saqueadores do Mar das Dunas – Parte 2

Dark Sun

Personagens:

00_party


Emboscada dos Emissários de Urik

02_ambush

Nas caravanas todos se encontraram novamente prontos para partir de Tyr. Karlak deixou Remiir, um mûl que cuida de suas montarias de caravanas, negociar com o grupo o transporte.

O que não esperavam era a companhia que havia chego logo no encalço do grupo. Liderados por um templário vestindo claramente as cores do Rei Bruxo de Urik, abriu espaço no meio da praça e falou claramente apontando para os surpresos exploradores:

“Hoje é seu dia de sorte, cães de Tyr! Hamanu o Rei Leão escolheu vocês para se juntarem aos seus seguidores. Você deve se sentir honrado! Entretanto, eu temo em dizer que isso irá doer bastante. Muito!”

O templário liderou ao ataque com seus assassinos. Logo as caravanas estavam em chamas, flechas e chatckas estavam cruzando o caminho. Em um combate feroz, o templário deixou claro seu conhecimento sobre o “caminho” quase matando Gomorra com um gesto de sua mente. Os assassinos foram quase todos mortos, fazendo seu líder fugir antes do fim da batalha, deixando corpos e caos na praça.

02_reob

Antes que os guardas de Tyr chegassem, partiram em meio à confusão rumo aos portões de Tyr. As suspeitas cresceram ainda mais sobre Karlak. Porque assassinos da cidade rival de Urik sabiam que mercenários de Tyr estavam indo atrás da Face na Pedra, com certeza havia mais em jogo do que apenas riqueza e mais jogadores no mesmo cenário perigoso que acabaram de conhecer.


Cruzando o Mar das Dunas

02_athas

O Mar das Dunas é um deserto sem fronteiras ou trilhas que dominam todo leste de Tyr. Não há oásis ou lugares para descanso fáceis. O caminho era arriscado e impreciso. Karlak em sua carta deu apenas uma pista, uma frase usada por um explorador que diz ter encontrado antes de sua morta, era uma cantiga de crianças da tribo do deserto: “Onde o redemoinho tece o túnel no céu, uma aparição pedregosa raramente fita com seus olhos vazios.”

Todos na caravana estavam intrigados procurando redemoinhos, rochedos estranhos e pistas no deserto. Por mais de sete noites e noites cruzaram o deserto, quase ficando sem água, sem notar uma alma no deserto. Porém no oitavo dia encontraram restos de uma caravana, em uma área pedregosa longe de qualquer trilha. Foram atormentados por pesadelos e miragens, que muitas vezes envolviam uma tempestade de areia que ocultava uma cidade rastejante, vagando do deserto como uma predador, com sua tribo sanguinária caçadora. Os pesadelos ficaram mais intensos no decorrer dos últimos dias.

Os restos da caravana haviam sido saqueados e os corpos deixados para apodrecer, vários Stingers, insetos gigantes carniceiros estavam se fartando. Foi necessário muito esforço para se livrar dessa praga do deserto dos corpos.

Os corpos revelaram sinais de luta. O shaman Tso Shash fez um último rito fúnebre para as pobres almas mortas ali, descobrindo ao ouvir os espíritos inquietos do lugar, mais sobre os assassinos. Os Saqueadores de Yarnath estavam pertos e estavam caçando forasteiros.

02_deserto


Continua no próximo capítulo!

Publicado em Dark Sun, Saqueadores do Mar das Dunas | Marcado com , , , , | Deixe um comentário